My Photo

DISCLAIMER


  • A Chefe Suprema da Redação reserva-se o direito de eliminar todos os comentários que considerar ofensivos, mal-educados, inapropriados ou... simplesmente estúpidos. A Chefe Suprema da Redação é juíza e jurada e não reconhece nenhum direito de apelação. Os incomodados que vão cantar em outra freguesia.

« Bozzetto - Neuro | Main | Mais Bozzetto »

Comments

nelsonmateus

diante de um número cada vez maior de paises membro eu até concordo com a medida que foi tomada ... só não entendo o porquê do inglês, francês e alemão? quais foram os critérios de selecção???

Paulo

Também não percebo porque é que o italiano ha-de ser "preferencial" ao português, ao espanhol, etc.

Maura

Eu explico: A Itália é uma das potências da UE, juntamente com a Alemanha, França e Reino Unido. Por isso o italiano fazia parte do grupo das línguas de "elite". Daí a gritaria e a fúria dos italianos com a eliminação do seu idioma nas conferências de imprensa.

Portugal (tal como a Espanha e os demais países da UE) são países "marginais", secundários e seus respectivos idiomas fazem parte do "segundo escalão" das chamadas "working languages" do parlamento.

Paulo

Mas a Italia não tem que estar chateada. A decadência (seja ela qual for) também tem o seu charme :)) Times change. No entanto a Italia nunca foi uma potência da UE. Penso que o facto de ter esse "bonus" se deve à circunstancia de ter sido um dos paises fundadores da UE, dada tb a sua posição geografica. Merece por isso ter esse privilégio? Hoje acho que ja não faz sentido. Enfim, opiniões.

nelsonmateus

faço minhas as palabras do paulo ...

Maura

A Itália não é uma potência da UE??? Ora, senhores...

Vamos até abrir mão do argumento da posição geográfica. Vamos até desconsiderar o fato da Itália ser um dos países fundadores da UE (e da OTAN também). É um dos países que formam o G-7 (junto com EUA, Canadá, Japão, França, Reino Unido e Alemanha). Também não vale?

Sobram quase 58 milhões de habitantes, um PIB que é o dobro do canadense, o mesmo desempenho per capita da França e do Reino Unido e o fato absoluto de que a Itália é a sexta maior economia do mundo.

Fatos são fatos. Mi dispiace signori.

Paulo

Ok, Maura. Pronto, a Italia é um pais rico e faz parte dos G7. Achas que é por essa razão que devera manter os privilégios em questão? Compreendo que sejas de origem italiana, e como tal, te sintas incomodada. Eu, pessoalmente, também me incomodam muitas situações, discriminaçoes, com ou sem aspas, a que Portugal se sujeita. Mas penso que aqui se trata de um problema bastante claro: redução de custos. Existem mais de 10 linguas no espaço europeu e além da questao economica penso que é realmente mais simples apostar nas duas linguas mais importantes, o inglês e o francês. Ja o alemão também merece reservas. Como diz o ditado: ou comem todos ou não come nenhum. Beijo.

Maura

E mais uma vez os comentários são retirados do contexo onde iniciaram-se. Minha origem italiana não tem nada a ver na história. Deixe-a de lado, por favor.

Você disse que "a Itália nunca foi uma potência na UE" e que não merecia o privilégio. Eu simplesmente trouxe números que mostram que a Itália é e sempre foi uma potência da UE.

Para mim pouco se me dá se falam inglês, sueco, português ou dinamarquês na UE. Como vocês dizem aí "estou-me nas tintas". Beijo.

nelsonmateus

é assim! eu acho que ... por muito trivial que possa parecer, a questão devia ir a votos! esta questão levanta um precedente e é preciso resolvê-lo de maneira democrática antes que o maú estar se instala na EU.

The comments to this entry are closed.