My Photo

DISCLAIMER


  • A Chefe Suprema da Redação reserva-se o direito de eliminar todos os comentários que considerar ofensivos, mal-educados, inapropriados ou... simplesmente estúpidos. A Chefe Suprema da Redação é juíza e jurada e não reconhece nenhum direito de apelação. Os incomodados que vão cantar em outra freguesia.

« Um em cada três adultos portugueses tem problemas dentários | Main | Deslizes lingüísticos... :-) »

Comments

paulo

morei praticamente toda a minha vida em linda-a-velha (fica 5 minutos de lx) e realmente existe uma ligaçao com linda-a-pastora (terra de cesario verde). Assim muito por alto, diz a lenda [sim,pq nos somos muito antigos :) ] que certo dia, um rei qualquer, nao me lembro qual, passou por aquela regiao e viu realmente uma pastora que considerou de muito bonita e fez um comentario muito honroso à propria. Anos mais tarde passa novamente por aquela zona e encontra de novo a tal pastora, desta vez com o peso da idade, e exclama: linda, a velha! :) Li também ha alguns, ja nao sei onde, que a temperatura média anual de linda-a-velha é igual à do jardim botânico (no rio?). A autora do blog eskeceu-se de mencionar a famosa PIXA :)

João

Sim, a famosa 'Picha', mas também Muge (os seus habitantes serão os mujidos?), Quelhões, o inefável Vale de Cabrões (em que o presidente da Junta, nos seus discursos coemça sempre por "Cabões e Cabronas" e que, curiosamente, em referendo local recusaram mudar de nome...). No Alentejo, lá para os baixos de Mértola, se não estou em erro, existe o local do 'Cú do Boi', para já não falar em Abis-a-Beba, homóloga da capital da Etiópia.

Luís Bonifácio

O pior exemplo é a localidade nortenha de Rãs.
Ao contrário dos habitantes de Picha, os quais têm orgulho no nome da terra, em Rãs um presidente de Junta de nome "Tino", um verdadeiro "cromo" do mundo autárquico e "Almeida" de profissão. (Não sei se a Maura teve o infortúnio de o encontar num "talk-show" qualquer da televisão Portuguesa) Impôs como primeira medida do seu mandato autárquico a alteração do nome da terra, de "Rãs" para "Rans", porque o "Tino" achava o nome anterior feio e o novo dava uma "entoação mais francesa, o que tornava a terra mais chique".
A História não regista mais nenhuma decisão autárquica do presidente "Tino.

Como pode ver Maura, também em Portugal vive o espírito de "Alberico Paraguassu".

PreDatado

Já falaram aqui de Picha, não falaram de Consolação da Pixa, nem dos Vales Mortos. E também temos a Venda das Raparigas e a Sertã (que não serve para fritar carne, mas que é quente pra burro no Verão). Além do Samouco que ao contrário do que se possa pensar não é a terra do Sá Mouco. E temos o Pulo do Lobo. eu própri sou natural do Socorro sem que isso significasse estar aflito para nascer. Apenas fico aflito quando não tenho tempo de ler o teu magnifico blog.
Um beijo, Maura.

Maura

Rapazes, preciso acrescentar um adendo: "Picha" não faz nenhum sentido por aqui. Portanto, informo aos brasileiros leitores do Diário que o termo eqüivale ao nosso "pau" (no sentido genital)

João

Sobre o pulo do Lobo: Não é uma localidade, mas o nome dado a uma queda de água, no rio Guadiana, cerca de 20 quilómetros a sul de Serpa. Ai, o rio estreita-se numa garganta com pouco mais de dois metros de largura, a que se segue uma queda de água de 15 metros. Na mítica local, é possível saltar-se, aí, de uma margem para a outra. daí o nome de Pulo do Lobo (com toda a carga simbólica que o Lobo tem). Há relatos de contrabandistas (a zona é relativamente eprto da fronteira com Espanha) que teria escapado à Guarda Fiscal, saltando naquele sítio de uma margem para a outra. Até há poucos anos, na época da pesca da enguia (principio da Primavera, quando inicia a viagem dos locais onde vive pra o sitio da desova, no mar dos Saragaços, no Atlântico), era costume o pescador ser dependurado, por uma corda atada ao corpo, ao longo da queda de água e aí, com uma espécie de coador gigante, 'joeirar' a água, de modo a que as enguias ficassem presas na peça.

Tatielen

olá queria saber mais coisas sobre portugal, as cidades turistica os costumes portugueses e outras coisas,como os sotaque as manias e etc....
e por causa que um amigo mudou pra lá e quero estr informada de tudo o que acontece em portugal

Inácia Teresa

Olá, gostaria de receber mais informações sobre a Aldeia chamada de Porqueira(s), em Portugal, local de nascimento de minha avó (Maria Brites Viva, em Portugal, e Maria Viva Henriques, após o casamento no Brasil) e meus tios (Manoel, Joaquim e Maria), que vieram para o Brasil, trazidos um a um por meu bisavô (Joaquim Pereira Viva). Sei que tenho (ou tinha) uma tia-avó, chamada Emília, que nasceu, vive ou viveu na mencionada aldeia (Não temos contato com a família de minha bisavó, também chamada Ignácia Thereza). Sei que minha tia Maria (Carvalho no Brasil), por várias vezes, tentou mudar o nome de sua aldeia, sugeriu a alteração para Nossa Senhora das Margaridas. Ela era uma pessoa muito reservada. Acredito que tinha vergonha do nome de sua cidade natal. Todos que poderiam contar algo, aqui no Brasil, faleceram antes que nossas curiosidades fossem afloradas.

Maria Antunes

Linda-a-pastora, Srª da Rocha, Linda-a-velha, Cruz Quebrada.
Um homem duvidou da sua esposa, por ela ter dado a luz de 7 meses e partiu para África. Ao fim de muitos anos viu o erro que cometeu e voltou, quando chegou encontrou uma cruz partida, ao qual passou-se a chamar Cruz Quebrada, mais a frente viu uma pastora e disse-lhe:
- Deus, te salve ó linda-a-pastora.
Subio o monte e viu uma idosa:
- Deus te salve ó linda-a-velha.
Desolado com a vida refugiou-se numa gruta,onde faleceu.
Anos mais tarde, umas crianças que bricavam encontraram umas ossadas com uma imagem de uma senhora negra com um manto, a que hoje se venera como Srª da Rocha.

The comments to this entry are closed.